aves

As ONG querem frear a morte de aves

Uma centena de aves, várias delas de espécies protegidas, foram introduzidas, em 2015, em centros de recuperação da região electrocutadas após colidir com postes e cabos de linhas de transmissão. Em toda a Espanha são contabilizados cerca de 7.000 exemplares afetados por ano. “São apenas a ponta do iceberg”, advertem nove grupos ambientalistas que apresentaram na semana passada, a plataforma SOS Fiações Elétricas. A ONG Grefa denúncia que em Madrid ainda não foram definidos os domínios de proteção, como exige a legislação estadual. Águias-reais, culebreras ou de Bonelli; papagaios negros; cegonhas ou corujas reais, são algumas das espécies afetadas. “Calcula-Se que pelo menos várias dezenas de milhares de indivíduos morrem a cada ano no Brasil por causa dos fiações elétricas”, explica o Real Decreto de 1432/2008, que regula as ações para conter o problema.

Os casos que são detectados são uma mínima parte dos que realmente produzem, advertem as nove organizações ambientalistas, membros da plataforma SOS Fiações Elétricas. Em numerosas ocasiões, os animais caem ao pé das torres e desaparecem em pouco tempo pela ação de predadores oportunistas, como as raposas. Os ambientalistas pedem às elétricas que adotem as correções necessárias na infra-estrutura.

Devemos cuidar de nossas aves

A região de Madrid, some do Grupo de Recuperação da Fauna Nativa (Grefa), embora tenha tomado medidas pontuais, acumula sete anos de atraso na identificação de áreas problemáticas. Fontes da Secretaria de Meio Ambiente respondem que existem Zpeas (Zonas de Protecção Especial de Aves), uma das figuras que prevê o decreto. “Mas faltam outros domínios, tais como as áreas onde se desenvolvem planos de recuperação de aves e outras áreas de reprodução, alimentação e dispersão”, censuram a partir da ONG.

cuidar aves

O caso da águia de bonelli ou de Bonelli, considerada espécie em perigo de extinção na Comunidade, é dramático, explicam os ambientalistas. Um dos membros da única casal de reprodutores, assentada há alguns anos, foi eletrocutado à dois quilômetros de distância do ninho. O exemplar foi encontrado morto graças ao emitente que usava. Das 38 águias desta espécie liberadas em Madrid por Grefa dentro do programa europeu de recuperação da espécie Life Bonelli, seis caíram electrocutadas. Do resto de espécies protegidas, no início deste ano, electrocutaron no sudeste uma águia imperial e outra de bonelli.

Deja un comentario

Nombre *
Correo electrónico *
Web